HomeSustentabilidadeForma de GestãoGestão de resíduos e coprodutos
Sustentabilidade

Gestão de resíduos e coprodutos

Gestão de resíduos e coprodutos

O aço se destaca perante outros materiais por ser 100% reciclável. No processo de produção de aço, a sucata metálica pode ser novamente transformada em aço, com manutenção da qualidade e das características desejadas. Buscando o reaproveitamento máximo desse material, a ArcelorMittal conta com extensa rede de captação de sucata metálica para efetivar a logística reversa. Entrepostos de metálicos em todas as regiões do Brasil realizam a separação e o pré-beneficiamento das sucatas antes de destiná-las novamente ao processo produtivo.

O grande volume de resíduos gerados envolve risco relacionado à área necessária para estoque desse material e as medidas para seu gerenciamento. As unidades produtivas possuem capacidade limitada para estoque e as soluções para destinação final como aterros industriais, por exemplo, possuem custo elevado. Nesse sentido, as principais oportunidades estão em encontrar novas formas de viabilizar a reutilização ou reciclagem dos resíduos gerados em processos internos e externos, transformando o que seria um problema em um ativo.

A forma de gestão de resíduos e coprodutos segue a já tradicional lógica dos 3Rs (Reduzir, Reutilizar e Reciclar) que, para os processos siderúrgicos, pode ser expandida para:

  1. Eliminar geração
  2. Reduzir geração
  3. Vender
  4. Reutilizar/reciclar
  5. Dispor temporariamente

Dessa forma, entende-se que dispor temporariamente em estoque local é a última das alternativas técnicas consideradas.

O planejamento da gestão de coprodutos se inicia na identificação, caracterização e mapeamento dos materiais gerados. Campanhas de monitoramento e análise dos resíduos, além da adoção de ações de segregação local, permitem o levantamento de possíveis processos e parceiros para os quais os materiais podem ser destinados ou vendidos.

Periodicamente, são planejados localmente o beneficiamento, o consumo interno, o consumo externo e as vendas/doações. Esse planejamento é monitorado por meio de indicadores específicos, como o Índice de Resíduos Não Recuperados (IRNR) e o Índice de Reciclagem de Resíduos (IRR). A qualidade dos coprodutos destinados também é monitorada por meio de campanhas de análises.

Quando ainda não há viabilidade técnica ou comercial para realizar a destinação de um resíduo ou coproduto para reutilização/reciclagem, são elaboradas propostas de novos projetos ou estudos. Essas propostas são avaliadas e priorizadas para implantação / realização, levando-se em consideração sua complexidade de aplicação, os riscos ambientais, legais e de saúde, bem como a necessidade de recursos materiais, financeiros e humanos, como profissionais das áreas de Meio Ambiente, Coprodutos e Suprimentos.

Métricas e Indicadores

Os principais indicadores adotados são o IRNR e o IRR, além do volume e do faturamento, referentes à comercialização de coprodutos das unidades.

O IRNR mede o percentual de resíduos estocados temporariamente ou encaminhados aos aterros, em que a meta é ter como resultado o menor valor tecnicamente possível; e o IRR calcula o índice de material que foi destinado aos processos de reutilização e reciclagem interna e externa à Empresa.

Para conhecer o desempenho da Empresa em gestão de resíduos e coprodutos, acesse o nosso Relatório de Sustentabilidade.

Sem inovação, não existiriam grandes cidades

  • Sem inovação, não existiriam grandes cidades

    Nosso aço contribui com a evolução da sociedade, por meio de investimentos em tecnologias e oportunidades para a construção de um amanhã ainda melhor.
    Transformação projetos em realidade.

    Isso é ArcelorMittal